30 de ago de 2009

8 e 80

"Às vezes me sinto a peça faltando em você
Às vezes me sinto à beça, você nem merece ter

Às vezes me sinto um castigo,uma praga, sua maldição
Às vezes me sinto um abrigo,uma graça, sua salvação

Mas se me desmantelo ao acaso
Logo me refaço ao sabor do vento que sopra a favor
8 e 80 por ruas estreitas do pensamento
De todo bom jogador

Às vezes me sinto um ódio sobrando em você
Às vezes me sinto um país que você nunca vai conhecer

Às vezes me sinto arriado nos quatro pneus
Às vezes me sinto nomeado interino de Deus

Mas se me desmantelo ao acaso
Logo me refaço ao sabor do vento que sopra a favor
8 e 80 por ruas estreitas do pensamento
De todo bom jogador

E se a gente perder
Que seja derrota suada, sofrida, roubada...
De mão beijada nem a pau!
E se a gente ganhar
Que seja vitória disputada, merecida, conquistada...
Vou pro pau!
Apostar na parte bacana do tal do amor
Do tal do amor"

Jay Vaquer


Gostar de alguém é mais ou menos isso, mas o mais importante, gostar de alguém exige querer, suportar e passar por estações que nem sempre são de flores... entender alguém que não cresceu com você, alguém diferente de tudo que você já conheceu... eu tenho certeza que te quero comigo...

29 de ago de 2009

Calar-se

Às vezes, quando seu estômago vira, sua cabeça desanda e seus olhos transbordam, você pensa em gritar ao mundo todos os dramas do seu momento crítico, mas contenha-se... nada vai mudar por isso, nem o mundo e nem você... worst week!

27 de ago de 2009

Tomar banho na soda!


Eu super tristinha, enfiada na coberta... cena depre mesmo... e passando o capítulo mais romântico possivel do Scrubs, do casamento do faxineiro psicopata. Tem como me deixar pior, Deus?

"EU TAVA TRISTE, TRISTINHO
MAIS SEM-GRAÇA QUE A TOP MODEL
MAGRELA DA PASSARELA"

25 de ago de 2009

Shit happens...

Sabem aqueles 15 segundos em que você deveria ter pensado melhor... e não o fez??? Pois então... passei por isso ontem e tô me sentindo o "cocô do cavalo do bandido"... MERDA!!! Esse é o nome... uma grande e fedorenta merda, capaz de adubar toda a plantação... e é aquela sensação horrível de que a idiotice estúpida e imbecil que você fez ontem pode mudar para pior o rumo das coisas... PQP!!! Esqueci de tomar o simancol... mas não esqueci a cachaça... MERDA!

"NÃO QUEREM MAIS OUVIR
AS MINHAS MAZELAS
E A MINHA VOZ CHINFRIM
CRIEI BARRIGA
MINHA MULA EMPACOU
MAS VOU ATÉ O FIM..."

24 de ago de 2009

Nada por mim...

Em um ano eu posso dizer sem sombra de dúvidas que o protagonista mudou... graças a Deus... mas afirmo também que os assuntos que me interessam parecer ser os mesmos... logo, felicidade, muda-se alguns personagens, mas a mocinha da história continua a mesma tonta monotemática...

Ando me forçando a escrever um pouco, mesmo contra minha vontade... não posso parar, não posso!
"NÃO FAÇA ASSIM,
NÃO FAÇA NADA POR MIM...
NÃO VÁ PENSANDO QUE EU SOU SEU!"


Você é obrigado a pensar no próximo sempre que vai fazer alguma coisa? Ainda mais se o próximo for muiiiito próximo? Uns dizem que não, sofreram demais deixando de fazer coisas por terceiros, outros (eu) dizem que sim... gosto de fazer as coisas e gosto de reconhecimento também de vez em quando... talvez seja a falta de crédito que melindre as pessoas ao se dispor a fazer algo... eu sinceramente já pensei muitas vezes "nunca mais faço nada pra ninguém"... não é do feitio humano urbano auto-suficiente e tapado aceitar que as coisas deram certo pq alguém ajudou... eu sei que não... mas ainda existem aquelas pessoas menos tapadas (uma pessoa que não é tapada é uma pessoa aberta???) que se propõe a dizer a tão dolorosa palavra: OBRIGADO, que fragiliza qualquer um... só acho que não há uma ordem certa para conhecermos pessoas tapadas ou abertas, não tem como minha bola de cristal me indicar como proceder exatamente em cada situação... então eu prefiro me abrir e dar a mesma chance para todos... me estrepar e me fechar para os tapados e me deliciar com os abertos pensando que o voto de confiança valeu a pena... honestamente, ando me fechando cada vez mais pro mundo... mas não quero ser rancorosa, não quero pensar nas coisas ruins que passei ao tentar acreditar... eu resolvi partir do princípio que ao me conhecer TODOS têm crédito... e o vão perdendo com o passar do tempo... em maior ou menor velocidade... ingênua talvez??? Pode ser, adoro pessoas ingênuas, tem um fascínio incrível, se alegram tão facilmente... mas só me considero uma pessoa digna de confiança, aberta e disponível e totalmente disposta a fazer por outro o que eu ADORARIA que fizessem por mim... mas nada posso se fui a próxima de uma fila de tapados a frente... não posso exigir que ninguém pense como eu, na verdade não posso exigir nada de ninguém... uma chance, um ombro, um conselho... cada um dá o que pode, o que convém e o que não vai fazer falta... não damos votos de confiança por estar faltando confiança em nós???

18 de ago de 2009

Era ela...

"EU JÁ LHE EXPLIQUEI QUE NÃO VAI DAR
SEU PRANTO NÃO VAI NADA MUDAR
EU JÁ CONVIDEI PARA DANÇAR
É HORA, JÁ SEI, DE APROVEITAR"

Ela nunca foi a mais bonita, nem a mais engraçada... sempre foi meio palhaça, ou melhor... é, pq felizmente ainda não morreu (não vamos falar sobre mortes essa semana, mto triste...)... era talvez a mais animada, uma das mais animadas... pq nunca foi destaque em nada... mas tava sempre por ali, numa pontinha de cena, enquanto outra pessoa brilhava... ela também aparecia no quadro... quando alguém perguntava ela respondia, retrucava... e até arrancava algumas gargalhadas... espirutuosa, sempre foi... inteligente, esperta... talvez seu cérebro encante mais do que suas qualidades físicas... é fato que nunca teve muito jeito para esportes, dança... muito menos disciplina para frequentar academia, com aquele monte de mulher sarada em roupas justas... largou o ballet com 10 anos pq achava mais interessante ver as cenas de frente pro palco... gostava de cantar, mas também não praticou o suficiente e desistiu no primeiro "Você gosta? Então aprende!"... não lidava bem com críticas... continua evitando-as... mas como disse... ela não é a líder da turma, mas com certeza faz parte dela... não é um foco, mas sempre foi um apoio, uma base em tudo que se envolveu... sempre lembrada quando alguém precisa nos apuros... nem sempre nas glórias... mas é assim que acontece quando não se quer todos os holofotes... ela passava, meio despercebida... sem levantar suspeitas... todo mundo mais preocupado em se destacar que ela... e assim ela foi, à margem... à frente... e percebeu que não foi necessário em nenhum momento ser o destaque do carro alegórico... era possível ser uma baiana da ala ou mesmo o mestre sala... todos chegariam ao fim da mesma forma... e a nota seria a mesma, pq toda a participação tem a sua importância vital... alguém precisa ser o cirurgião, alguém precisa ser o instrumentador para que o procedimento chegue ao fim com o sucesso esperado... ela percebeu que quem brilha demais acaba inspirando mais inveja que orgulho... nunca teve inveja de ninguém... orgulhou-se de si... até o fim....