5 de out de 2008

Aos 13!

Sei lah, passeando pelos blogs da vida vi alguém que escreveu sobre ocorridos de 10 anos atrás e hoje pensei em algo completamente pertinente ao meu momento e lembrei do meu aniversário de 13 anos (10 anos atrás... pasmem!)
Era uma noite fria em Cuiabá (pq por mais incrível q pareça, sempre fazia frio no meu aniversário, como se São Paulo lembrasse de mim td dia 4 de maio...), tinha acabado de mudar de turma no colégio (7ªA da Cooperar...) e era a primeira festa de aniversário de uma pré adolescente (muito estranha por sinal). Eramos poucos... sentados no chão, jogando Master na garagem, mas ele estava lá, e a noite já estava perfeita... me apaixonei por ele no momento em que ele cantou "Wonderwall" na Gincana Cultural, inteirinha, sem gaguejar... foi lindo, tive que decorar também!
Rodolfo, Rodolfinho, Finho... fui ficando mais íntima com o passar do tempo, mas ainda era Rodolfo na época... tinha acabado de entrar na sua sala e nem imaginava que ele ia realmente aparecer na minha festa... Ele veio!!!! Ei meu Deus, que eu faço??? Ok, relaxa... calma... respira... não surta agora...
A noite correu bem... rimos, jogamos, comemos, bebemos... e ele pegou na minha mão (ou eu peguei na dele, oq eh bem mais provável...) e não quis largar mais... não, não, essa mão é minha ninguém tasca... fiquei colada nele, pela mão, como dois siamêses... e me realizei por um simples encontrar de dedos... e fui bem clara no que queria, quero a mão e todo o resto (nossa, que pré adolescente decidida... nunca fui de meias palavras qto a isso...) e assim ficou... a noite acabou "na mão"... a mãe dele veio buscar e fui obrigada a soltá-lo... nunca mais tivemos um contato tão íntimo, não por falta de vontade minha, mas talvez pelo excesso... eu amei o Rodolfinho 2 ou 3 anos... e só. Virei sua melhor amiga, sua confidente, sua companheira... talvez tb pela necessidade de estar perto... mas eu sei q uma noite de mãos dadas é demais para um menino de 13 anos... e eu nunca soube jogar com os meus próprios sentimentos, sou um galinho português q muda de cor conforme o tempo/humor/sentimentos... e talvez essa vontade de ter alguém o tempo todo e de querer muito e não esconder me fez perder, como um produto com mta oferta que acaba perdendo seu valor... e qdo a gente perde o valor fica meio insegura, faz merda, briga de bobeira... manda carta anônima pro Finho (sim, eu sou uma apaixonada ridícula) e perde ele pra loira da turma B... e fim!
E fico pensando comigo... 13... 23... oq mudou? Eu continuo ridícula... esperando a loira da turma B vir buscar algo que na verdade eu quero tanto pra mim...



"QUE PIRAÇÃO: TÔ NA PROCURA POR UMA CURA PRO MEU CORAÇÃO. E NA LOUCURA DA PROCURA EU PROCUREI VOCÊ, E FIZ UMA PROCURAÇÃO. É, PRO CORAÇÃO, PRA CURAR O CORAÇÃO E DEIXAR O CARA SÃO... PRONTO PRA OUTRA LIÇÃO."

na verdade recomendo a música inteira: "Sei lá" - Gabriel Pensador

Nenhum comentário: