27 de set de 2010

doze meses completos!!!


Eu nunca pedi um amor perfeito, paixão à primeira vista, ligações no dia seguinte, flores, bombons, serenatas e final obviamente feliz... mas eu quis um amor desvairado, descontrolado, alterado e despedaçado em que se junta os caquinhos um a um até perceber quão lindo esse mosaico fica. Eu quis conhecer alguém por uma garrafa d’água, ligar pra pedir de volta a saia, sair e descobrir que ele gosta de Chico Buarque. Eu quis ter crises de ciúmes, ter fim e ter volta (várias vezes), ter bebedeira e ressaca, ter mil histórias pra contar até, finalmente, ter um namoro. Eu quis ir ao buteco, ao bar lésbico, à Augusta, ao pesqueiro, à Virada Cultural, à Estrada Real. Eu quis ouvir muita coisa: sentimentos, lamentos, crises, neuras e desconfianças até, finalmente, ouvir que me amava. Eu quis um amor agitado, desconjuntado, imperfeito, como todo humano deve ser. Eu quis você, do seu jeitinho marrento e brigão, com sua pintinha na bochecha, seu pé chato e seu dragão.
Eu sonhei um amor assim: que significasse tudo que você é e mim!



"EU SEI E VOCÊ SABE, JÁ QUE A VIDA QUIS ASSIM
QUE NADA NESSE MUNDO LEVARÁ VOCÊ DE MIM
EU SEI E VOCÊ SABE QUE A DISTÂNCIA NÃO EXISTE
QUE TODO GRANDE AMOR
SÓ É BEM GRANDE SE FOR TRISTE
POR ISSO, MEU AMOR
NÃO TENHA MEDO DE SOFRER
QUE TODOS OS CAMINHOS ME ENCAMINHAM PRA VOCÊ

ASSIM COMO O OCEANO
SÓ É BELO COM LUAR
ASSIM COMO A CANÇÃO
SÓ TEM RAZÃO SE SE CANTAR
ASSIM COMO UMA NUVEM
SÓ ACONTECE SE CHOVER
ASSIM COMO O POETA
SÓ É GRANDE SE SOFRER
ASSIM COMO VIVER
SEM TER AMOR NÃO É VIVER
NÃO HÁ VOCÊ SEM MIM
E EU NÃO EXISTO SEM VOCÊ"

OBS: um ano ontem... mas eu tava mto ocupada para postar ¬¬"

22 de set de 2010

Tchau Moninha!




Eu a trouxe lá de Campinas, de Paulínia pra ser mais exata... achei brincando com seus irmãozinhos num pesqueiro e não tive dúvidas, alterada, a coloquei dentro da bolsa (sim, ela cabia na minha bolsa) e carreguei a gatinha para Mogi das Cruzes... no dia seguinte, de ressaca, que pude ver como era linda a gatinha que eu achei: branquinha com manchinhas marrons, olhos azuis, meia cara pintada... um charme! Viralatinha de tudo, desmelinguida, magrela e folgada... não causou boa impressão quando escalou a camisa do meu pai ou quando pulou na minha alérgica cunhada, mas conquistou todos!!! Meu pai dizia que ia mandar ela pra FEBEM de gatos menores infratores, eu a chamava de "Gata-aranha" toda vez que ela se arriscava a escalar alguma coisa, além de ter várias musicas temas para ocasiões diversas... conforme foi crescendo ela esqueceu que era vira-lata... se achava gata de madame ou pior... a criança da casa! Só fazia o que queria, só tomava água corrente (tinhamos que abrir a torneira), tinha que tomar leite todo dia e até na cama acabava ocupando uma boa parte, aquela felina espaçosa! Mas como me alegrava vê-la todo dia em casa, pulando no meu colo, se jogando no tapete da sala, enchendo minha vida de pêlos brancos que voavam por todo lugar... Hoje não foi assim, voltei do plantão e ela não estava, não dormiu em casa... não dormiu, descansou... encontrei-a do outro lado da rua, de coleira ainda... a Ramoninha foi atropelada (provavelmente ontem à noite) e tudo agora será apenas uma alegre lembrança do primeiro bichinho que eu tive realmente meu e que alegrou a minha vida por 10 meses...










Fica em paz, meu denguinho! Mamãe te ama muito!!!


"GATA ARANHA, GATA ARANHA
MUITA GATA E MAIS ARANHA,
CUIDAAAAAAAAADO!
É A GATA ARANHA!!!"