6 de abr de 2009

Conveniência

Eu ia dizer algo sobre a conveniência dos fatos e das pessoas para cada instante... mas já não acho tão conveniente assim tocar nesse assunto. Espero que eu lhe seja útil em algum momento, okey? Precisando, é só usar... e eu espero que aprenda a feliz arte das amizades de conveniência, pq é assim que a roda anda, que as coisas funcionam...

Apesar disso, eu prezo pelas minhas poucas amizades verdadeiras... pq não faço questão de volume, nada demais... pq nada que é demais é real... alegria demais, euforia demais, abraço demais, gargalhadas demais... tudo que é exagerado aparenta meio forçado aos meus olhos... então não força vai, só faz o que te der na telha e usa... as coisas e as pessoas... que mais cedo ou mais tarde você também será usado assim... de forma bem conveniente.

E um brinde ao desapego das pessoas aos sentimentos humanos e à adesão do lema de vida: “Ser é ter”... eu não tenho nada que seja de fato meu, logo não sou ninguém... mas me aguardem, vão faltar festas de tantos “amigos” sazonais que irei adquirir pelo caminho... e um dia eu viro a Hebe e comemoro essa farsa de 80 anos na Disney!

"É QUE NARCISO ACHA FEIO O QUE NÃO É ESPELHO..."

2 comentários:

Lara disse...

Vc precisa procurar essas informações em sites mais confiáveis.. A Hebe fez 80 anos em cada perna.. XD

Vou pensar em como usar sua amizade pra alguma coisa, moranga mofada... pq pra suquinho já passou do ponto

Luciana. disse...

pqp...o que acontece gata??
Tá inspirada... me bloga!